Trajes

Está aqui

Homem de sentido estético, teimoso, grande amigo e entusiasta da EPAE, José António Torcato Freitas, foi o principal responsável pela concepção do traje actual utilizado na Escola.

Depois de muitas trocas de impressões com o Sr. Eng.º Fernando d’Andrade, os Fundadores da Escola e outros colaboradores, manteve a sua teimosia, em que o traje deveria ser “bordeaux” e não “azul”, como era pretensão dos primeiros.

Esta teimosia, baseou-se principalmente, num quadro, do séc. XVIII, existente no Museu Nacional dos Coches, em que há um carrossel, no Terreiro do Paço, com dezenas de cavalos de pelagem castanha, em que os cavaleiros vêm vestidos com casacas da referida cor.

A existência deste quadro, nunca foi por ele divulgada ao grupo!

 

Trajes de Gala

Casaca comprida, até a dobra do joelho, de veludo “bordeaux”, com gola preta, galão dourado e preto, aberta à frente, com grandes botões dourados, com as armas de D. João V, em baixo relevo.

Sob a casaca, colete branco de seda, relativamente comprido, com bolsos laterais, ajustado nas costas com duas presilhas de tecido atadas.
Camisa branca, sem colarinho, de manga comprida, punho duplo e botões de punho.

“Plastron” branco, em volta do pescoço, cruzado à frente, aparecendo debaixo do primeiro botão do colete.

 

Traje de Trabalho

O traje de trabalho, de Verão é exactamente igual ao de gala, sem casaca de veludo, montando os cavaleiros em colete com as mangas da camisa branca, à vista.

No traje de trabalho de Inverno, o colete branco é substituído, por um colete de veludo “bordeaux”, com mangas, botões dourados, galão dourado e preto.

Impermeável preto comprido, cobrindo a coxa e ajustando-se na polaina, com o escudo amarelo da EPAE no peitoral esquerdo.

Gabão castanho, de gola de raposa (vulgo capote à alentejana).

Tanto no traje de trabalho como de gala:

  • O calção creme é de cós alto, justo a coxa, com quatro botões dourados acima do joelho, dispensando a abertura lateral, usada na época, dado que os tecidos actuais são elásticos sendo mais fáceis de vestir.
  • Para se manterem esticados, têm atilhos de nastro nas canelas e são suspensos dos ombros por suspensórios.
  • Meia de seda branca comprida, saindo da polaina superiormente, cobrindo o joelho.
  • Bota preta de couro, de elástico e salto de prateleira.
  • Polainas pretas de couro, com abertura em “V” à frente do joelho, apertadas lateralmente em “folha de oliveira”.
  • Esporas de prateleira, em metal amarelo, com braços compridos, de secção triangular, de pua recta e roseta, de correia larga, no peito do pé, com fivela quadrada, apertando na face externa do pé.
  • Luvas de anta brancas.
  • Tricórnio preto, de feltro com galão dourado, tendo do lado esquerdo fita encarnada e branca, sobrepostas por um grande botão dourado com as armas de D. João V, em relevo.

 

No caso dos Mestres-Picadores, além do referido botão estas fitas são sobrepostas por um grande presilhão dourado.

Tanto nos Mestres-Picadores como nos Picadores, Aspirantes e Alunos a “Vardasca” de marmeleiro faz parte da farda.

Os alunos usam camisola “bordeaux”, de decote em bico, sob a qual vestem camisa, sem colarinho, as riscas “bordeaux” e brancas.

O uniforme do tratador, é azul escuro, com boné de pala, com o logótipo da E.P.A.E. na fronte, usando bata para a limpeza.

Theme by Danetsoft and Danang Probo Sayekti inspired by Maksimer

Air Force 1 07 Shoes,Nike Air Force 1 Flyknit Sneakers,Air Force 1 Mid 07,Nike Air Huarache Sneakers,Nike Air Jordan Sky High OG,Air Max 1 Ultra SE
Nike Air Max 90 Fireflies,NIKE AIR MAX 90 MID,NIKE AIR MAX 95,NIKE AIR MAX 95 CHAUSSURES,NIKE AIR MAX MOTION LW,NIKE AIR MAX TAILWIND 8